Ah....as borboletas.

Ah....as borboletas.
A atriz Megan Fox, uma apaixonada confessa por tatuagens, tem uma citação de Shakespeare (mais precisamente da peça Rei Lear) que significa "vamos rir-nos de borboletas douradas". Para quem não sabe, embora belas e extravagantes, as borboletas douradas não conseguem voar, sendo uma espécie de prisioneiras de si próprias. As paixões, assim como as borboletas, duram muito pouco, mas se as paixões fazem par com o amor, a vida além de ganhar sentido, vem acompanhada de um delicioso tempero.

sábado, 16 de julho de 2011

....e hoje é sábado, pra muitas, dia de faxina, arrumação, enfim, deixar a casa brilhando . SERÁ????????

Casa Arrumada
 
 
Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)

Casa arrumada  é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa
entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um
cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os
móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras
e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições
fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,
passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca
ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

3 comentários:

Luzia Lira Pedagoga disse...

Amo essa poesia , linda, linda! Retrata a vida de forma muito simples e autêntica.

Karen Laissa disse...

Nossa que magnífica, posso falar? Minha casa é assim! Rsrsrs nunca impecável, limpa, mas com rastro de gente, rastro de vida. Afinal vivemos oras, não somos de plástico.
Parabéns pela idéia magnífica de postar essa poesia desse autor maravilhoso.
Já estou seguindo, adorei o blog.el, limpa, mas com rastro de gente, rastro de vida. Afinal vivemos oras, não somos de plástico.
Parabéns pela idéia magnífica de postar essa poesia desse autor maravilhoso.
Já estou seguindo, adorei o blog.

Karen Laissa disse...

Nossa que magnífica, posso falar? Minha casa é assim! Rsrsrs nunca impecável, limpa, mas com rastro de gente, rastro de vida. Afinal vivemos oras, não somos de plástico.
Parabéns pela idéia magnífica de postar essa poesia desse autor maravilhoso.
Já estou seguindo, adorei o blog.el, limpa, mas com rastro de gente, rastro de vida. Afinal vivemos oras, não somos de plástico.
Parabéns pela idéia magnífica de postar essa poesia desse autor maravilhoso.
Já estou seguindo, adorei o blog. :-)